importancia-coaching-call-center

A importância do coaching personalizado na eficácia de um call center

Pessoas são muito diferentes entre si. À primeira vista podem até ser parecidas, mas o DNA de cada ser humano é único, exclusivo.

Por essa razão não dá para nivelar o treinamento dos colaboradores. O coaching precisa ser moldado feito uma roupa: pensado sob medida para cada um.

A capacitação individual atrai e inspira motivação, desenvolve potencialidades e traz à tona o melhor das pessoas.

Colaboradores bem preparados ajudam o time a prestar serviços de mais qualidade, e otimiza vendas e serviços.

Para começar, leve em consideração essas 4 etapas:

  1. Compreensão do negócio

Todos na organização, desde o atendente do call center até o CEO, precisam estar na mesma página. Quais são as metas diárias, semanais, mensais da empresa? Os principais desafios? Têm a ver com a concorrência? É necessário mudar a percepção dos clientes? A mesma comunicação entre todos é o ponto de partida para alcançar bons resultados.

  1. Conhecer o colaborador

É universitário? Procura recolocação no mercado? Tem ambição de seguir carreira em vendas? Prestação de serviços? Saber quem é o colaborador ajuda o gestor na escolha do treinamento mais adequado. Aliás, não só saber quem é, mas também ter a capacidade de se colocar no lugar do atendente. Essa inversão de papéis amplifica o bom relacionamento entre colaborador e gestor e é fundamental na personalização do coaching. Uma excelente ferramenta para melhorar a experiência dos colaboradores no call center e aumentar a produtividade.

  1. Pontos fracos x pontos fortes

Cada um tem um jeito de ser, de se comportar, uma personalidade diferente. Alguns se destacam pela simpatia no atendimento, outros têm mais habilidade em responder dúvidas frequentes. Enfim, todos nós temos pontos fracos e fortes. O treinamento individual permite traçar um plano que evidencie os talentos e forneça técnicas para que a pessoa desenvolva amplas capacidades. Assim, o coaching personalizado beneficia colaboradores e empresas.

  1. Processo contínuo

Para um treinamento dar certo é preciso que ele seja contínuo. Isso vale para tudo na vida, é só pegar as atividades esportivas como exemplo. Um nadador pode ser talentoso, mas isso só não basta. É preciso treinar suas habilidades para melhorar seu tempo nas diferentes modalidades. Ou para que ele se supere em um ou outro estilo para o qual não demonstra ter tanta confiança. O processo contínuo traz à tona o melhor: nossas qualidades e o desenvolvimento de nossas potencialidades.

A gamificação é um jeito divertido de melhorar o desempenho de cada colaborador em tempo real

Quem é que não gosta de um jogo, um desafio, uma competição? Ainda mais quando traz benefícios e recompensas. A gamificação é exatamente isso: uma tecnologia inovadora que usa dinâmicas de jogos para engajar pessoas por meio de rankings, distintivos e pódio.

Com a gamificação, é possível premiar o que está dando certo e corrigir o que não está funcionando no dia a dia, já pensou? Gestão em tempo real por meio de um jogo.

A gamificação transforma a rotina estressante em motivação para superar limites todos os dias.

A gamificação desenvolve cultura de performance e engaja pessoas a ter um desempenho superior

E mais:

  • Estimula o relacionamento de confiança e respeito
  • Possibilita correção de rota sem ofender ou provocar constrangimentos no colaborador
  • Permite feedback em tempo real
  • Promove ambiente e competição saudáveis
  • Incentiva a camaradagem na equipe
  • Facilita correção de rota sem ofender ou provocar constrangimentos no colaborador
  • Propicia reconhecimento privado, entre o gestor e o atendente, e público, entre todos na equipe
  • Oferece recompensas em pontos que podem ou não ser transformados em prêmios
  • Diminui rotatividade
  • Aumenta engajamento

E, consequentemente, satisfaz clientes. E você sabe, cliente satisfeito é garantia de dinheiro de volta. De volta para a empresa, é claro.

Deixe um comentário