Descubra o poder dos jogos para o seu negócio

Primeiramente, vamos falar um pouco sobre a gamificação no Brasil. Ela foi trazida pela game designer e escritora Jane McGonigal, que levou os jogos para muito além do entretenimento. Uma análise do game World of Warcraft trouxe um resultado inacreditável: se fôssemos somar todas as horas empregadas por todos os jogadores, teríamos um total de 5,93 bilhões de anos jogados. De acordo com Jane, o sucesso do jogo se deve ao poder de solucionar problemas conferido aos jogadores. Além disso, as características de herói são conferidas ao gamer através de níveis alcançados. Assim, ele pode alcançar recompensas e contribuições perseguindo seus objetivos.

Falando de modo informal, podemos afirmar que as pessoas gastam muito tempo com os jogos. É bastante comum vermos pessoas em trens, metrôs e ônibus, bem como em filas de espera, a superar desafios em tablets e smartphones. Ter conhecimento de que o jogo engaja é realmente algo grande. É importante que procuremos formas produtivas para fazer uso disso na realidade empresarial.

Em paralelo, podemos analisar as rotinas tradicionais das empresas: pouco engajamento, funcionários necessitando de motivação constante, falta de perspectiva, egocentrismo e falta de capacidade de trabalhar em equipe. Há quem diga que a mão de obra deixa a desejar, mas isso está muito longe de ser verdade. O ambiente no qual o colaborador trabalha é de responsabilidade do empresário/chefe/gestor. Ele dará as diretrizes a respeito do modo como quer que tudo funcione. Além disso, tem o poder de gerenciar as relações pessoais, incentivar o trabalho em equipe e a socialização e outros fatores. Se o ambiente da empresa é monótono e desagradável de se trabalhar, dificilmente podemos atribuir a culpa ao colaborador.

Portanto, podemos entender que as empresas precisam de algo que o game é capaz de prover: motivação e engajamento mesclados ao entretenimento, dando um tom mais divertido às atividades profissionais. Em pesquisa realizada pelo IEEE (Instituto de Engenheiros Elétricos e Eletrônicos), daqui a cerca de 3 anos, 85% da rotina tradicional de trabalho será baseada em fundamentos e métodos dos jogos, como medalhas, recompensas, diferentes níveis, etc.

Empresas que inovarem sairão à frente

Implantar uma forma de aumentar a motivação dos funcionários e sua produtividade certamente abrirá vantagem com a concorrência que não o fizer. Fazer com que os colaboradores “vistam a camisa” ainda é o desafio de muitos empresários. É fundamental que sua equipe esteja engajada com um mesmo objetivo: fazer a empresa crescer. Se você pensa que o dinheiro por si só possui o poder de fazê-lo, está enganado. Há atualmente diversos profissionais que são bem remunerados mas ainda não possuem o “norte” que gostariam em seus respectivos cargos. Assim, a gamificação se encaixa como uma luva à rotina das empresas de modo proveitoso, barato, inovador e divertido.

Fonte

Deixe um comentário