Autogestão: por que investir na autonomia dos colaboradores?

Autogestão: por que investir na autonomia dos colaboradores?

Atualmente a forma como as empresas encaram o papel de seus colaboradores tem mudado. Profissionais quadrados e que apenas respondem a estímulos para realização de tarefas, é coisa do passado. Hoje a autogestão demonstra que as organizações buscam por profissionais com iniciativa e autonomia para criarem novas ideias e enfrentarem desafios.

O que é autogestão?

Autogestão é um modelo organizacional cujo objetivo é descentralizar algumas funções que tradicionalmente eram exclusivas dos líderes, passando a ser divididas com toda a equipe. Dessa forma é possível promover a autonomia e a igualdade dentro do negócio.

A flexibilidade desse modelo não significa necessariamente a ausência de hierarquias, mas sim que o processo de tomada de decisões pode acontecer de forma coletiva e em diversos níveis hierárquicos, reduzindo a burocracia dentro da empresa.

Por que investir na autonomia dos colaboradores?

Primeiramente, é preciso compreender que a autogestão é uma maneira diferente de ver a empresa, a gestão dos líderes e a estratégia organizacional. 

A autogestão estimula os colaboradores a acreditarem que a empresa confia em suas ideias e compromisso. Por isso, é tão importante estimular a autonomia de cada indivíduo, para aumentar a performance, incentivar a criatividade, e melhorar o comprometimento e a responsabilidade dentro da empresa.

Quais as vantagens da autogestão?

  • Promove a liderança de todos da equipe para trabalhar em conjunto e alcançar os resultados;
  • Os processos passam a ser democráticos;
  • Todos os colaboradores têm acesso às informações e às atividades da empresa;
  • Os profissionais trabalham e tomam decisões focadas no desenvolvimento da empresa;
  • Incentiva e humaniza o relacionamento interpessoal;
  • Aumenta as responsabilidades e a motivação de cada colaborador;
  • Gera autonomia quanto ao desenvolvimento das atividades da empresa;
  • Melhora o desempenho individual e coletivo;
  • Gera maior engajamento de toda equipe.
Quais são os principais desafios?

Apesar das vantagens citadas, adotar esse novo modelo de gestão implica em mudança, e toda mudança é um grande desafio. É comum que o colaborador não tenha desenvolvido competências prévias que viabilizem essa autonomia, pode se sentir perdido em situações, como por exemplo: 

  • Quando surgir um problema financeiro, quem é o contato?
  • Como iniciar uma entrevista?
  • Até onde vai a autoridade para tomar uma decisão que transpõe a fronteira da equipe?

Esses são alguns dos desafios que podem surgir ao longo do caminho, mas é preciso estar ciente que neste tipo de modelo gestão, a presença do líder não desaparece. Apesar do estímulo à autonomia, os gestores continuarão presentes para ajudar em processos, encurtar caminhos, direcionar esforços e estimular ainda mais o engajamento da equipe.

É importante saber que para migrar do modelo de gestão tradicional da sua empresa para o de autogestão, leva tempo. A cultura da sua empresa precisa passar por um processo lento que exige esforço de toda equipe para que o novo modelo seja incorporado e enraizado no dia a dia de trabalho.  

Ao incentivar a autogestão, os líderes ganham em produtividade, satisfação da equipe e, consequentemente, aumentam seus lucros. É por isso que a Gamefic apoia o modelo de autogestão com o uso de um sistema criativo que utiliza a gamificação a favor da gestão de pessoas. Dessa forma, cada colaborador pode acompanhar seus próprios resultados, alcançar seus objetivos, realizar treinamentos e ainda ter um feedback específico, pontuando suas habilidades e pontos de melhora. Quer saber mais? Conheça a Gamefic.

Deixe um comentário