escrito por:
Karla Gondim

publicado em:
18 mar 2021

Comunicação interna: o que não se deve fazer

Se você acha que a comunicação interna de uma empresa pode não causar grandes impactos nos resultados da organização, calma lá.

Uma comunicação interna ineficaz atrapalha processos, cria um clima organizacional conturbado e diminui a produtividade dos colaboradores.

Por isso, é preciso ter muita atenção e um planejamento bem definido sobre o tema. Acima de tudo, colocar em prática a comunicação alinhada, informativa e inclusiva.

Assim, a comunicação interna deve ser integradora e fazer com que os setores da empresa se entendam, falem a mesma língua e contribuam para o desenvolvimento das atividades sem ruído e distorção de mensagem.

Os impactos de uma comunicação interna falha

A comunicação interna, quando é feita de maneira desorganizada, sem padrão e com processos confusos, tende a tornar o ambiente de trabalho confuso, carregado de informações (nem sempre relevantes) e ainda afeta na execução das atividades e no cotidiano da empresa.

Por isso, é preciso que haja uma estruturação da comunicação interna para evitar estes problemas. Afinal, é preciso haver transparência e coerência nas informações fornecidas pela empresa.

Um processo falho é capaz de impactar diretamente em:

  • Organização de tarefas
  • Produtividade do pessoal
  • Motivação dos funcionários
  • Ambiente de trabalho confuso
  • Relacionamento entre setores, lideranças e colaboradores
  • Ruídos de mensagens
  • Falta de direcionamento
  • Problemas de gestão
  • Falta de inovação

Ainda existem outros motivos que podem prejudicar a organização pela falta de uma comunicação interna adequada.

O importante é que essa falha seja detectada rapidamente para que possam ser tomadas atitudes corretivas a fim de não deixar a situação agravar.

O que não fazer na comunicação interna da empresa?

Listamos aqui uma série de atitudes que prejudicam a comunicação interna e, por isso, devem ser evitadas.

Falta de padrão no tom da mensagem

A comunicação interna exige um padrão. E tudo vai depender do público que receberá a mensagem. O importante é evitar formalidade ou informalidade demais.

A comunicação deve ser clara e objetiva para que todos entendam. Deve-se respeitar o tom de linguagem da empresa para evitar ruídos e desentendimentos.

Deixar de ouvir as pessoas

Uma das piores falhas da comunicação interna é a falta de uma via de mão dupla no diálogo. O monólogo, no caso, quando apenas uma parte tem voz ou direito de falar é extremamente prejudicial para a saúde do ambiente de trabalho.

As pessoas dentro da organização têm perfis distintos, logo, pensamentos diferentes acerca dos assuntos corporativos. Por isso, é fundamental dar voz para que todos expressem suas opiniões e contribuam para o desenvolvimento do negócio.

Não conhecer o público da mensagem

Emitir comunicados, memorandos, e-mails, ou qualquer que seja a forma de comunicar, não basta. É necessário que a mensagem seja absorvida por quem irá receber.

Ou seja, é preciso, antes de tudo, conhecer para quem está se escrevendo. Pode parecer básico, mas muitas empresas ainda aplicam somente tons mais formais e técnicos em suas comunicações. E nem sempre isso será efetivo.

Conhecer o público da sua empresa é o primeiro passo antes de estruturar a linguagem interna.

Desconsiderar ferramentas tecnológicas

Hoje, há muitas ferramentas capazes de auxiliar em todos os aspectos da comunicação interna da empresa.

Desde a padronização da mensagem, até a centralização da comunicação. Neste sentido, é importante buscar alternativas que facilitem o trabalho para melhorar a comunicação.

Negligenciar a tecnologia é um passo longo para o retrocesso de qualquer organização. Quando isso afeta a comunicação, os resultados negativos são ainda mais potencializados.

Excesso ou ausência de comunicação

É preciso estabelecer uma frequência da comunicação para não haver excessos nem falta.

Muita informação ao mesmo tempo confunde os colaboradores e não gera atenção para nenhum assunto. A ausência também faz com que as pessoas fiquem perdidas e não se sintam parte de algo maior, uma vez que o compartilhamento de mensagens é quase inexistente.

Falta de diálogo e feedback

O relacionamento interpessoal também faz parte da comunicação interna. O diálogo entre equipes, setores e lideranças é fundamental para a boa execução das atividades.

O feedback está incluso neste processo. É preciso que gestores tenham a prática em sua rotina para gerar engajamento e consciência nos colaboradores. O feedback é uma ferramenta importante para o desenvolvimento das equipes.

Ter um processo contínuo e estruturado de diálogo e feedback promove pessoas mais motivadas, cooperativas e focadas no resultado e desenvolvimento pessoal.

Comunicação não inclusiva

Hoje não se pode pensar em comunicações excludentes. A inclusão é pauta global e deve ser amplamente aplicada na comunicação interna das organizações.

Isso deve ser aplicado no planejamento da comunicação, no tom da mensagem e em todos os processos de diálogo, relacionamento e ações voltadas à comunicação interna.

Por fim, a comunicação interna merece destaque dentro das organizações, visto que sua aplicação incorreta traz impactos profundos no desempenho das pessoas e resultados da empresa.

Comunicar faz parte da essência do ser humano. Mas é preciso lapidar a comunicação para evitar situações de risco para as empresas.

Compartilhe


NEWSLETTER